Chega de Saudade

novembro 22, 2006 às 12:44 pm | Publicado em Vínicius de Moraes | 6 Comentários

Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz Não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai
Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calada assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim.

Vinicius de Moraes

Anúncios

Voar

novembro 22, 2006 às 12:41 pm | Publicado em Bukowski | 2 Comentários

Certa noite, não faz muito
tempo
eu sonhei que
podia voar.
quero dizer, só mexendo
os braços e as pernas
eu podia flanar pelos
ares
e voava.
Havia todas aquelas pessoas
no chão,
elas erguiam os
braços e tentavam me puxar
para baixo
eles não conseguiam

senti me como se
mijasse neles.
Eles eram tão
invejosos

tudo que precisava fazer era
treinar do seu modo
até chegar lá
como eu tinha
feito.

Tais pessoas acham
que o sucesso dá em
arvores.

Você e eu,
nós sabemos
mais.

Bukowski

Confissão

novembro 22, 2006 às 12:40 pm | Publicado em Bukowski | 1 Comentário

esperando pela morte como um gato que vai pular na cama
sinto muita pena de minha mulher

ela vai ver este corpo rijo e branco
vai sacudi-lo e talvez sacudi-lo de novo:
e Henry não vai responder.
não é minha morte que me preocupa,é minha mulher
deixada sozinha com este monte de coisa nenhuma.

no entanto eu quero que ela saiba que dormir todas as noites a seu lado

e mesmo as discussões mais banais eram coisas realmente esplêndidas

e as palavras difíceis que sempre tive medo de dizer podem agora ser ditas:
EU TE AMO.

Bucowski

novembro 22, 2006 às 12:38 pm | Publicado em Frases soltas | 1 Comentário

Só se vê bem, se pusermos o coração no olhar, para que o essencial não se torne invisível aos olhos.

Exupéry

Amavisse.

novembro 22, 2006 às 12:35 pm | Publicado em Hilda Hist | Deixe um comentário

Como se te perdesse, assim te quero.
Como se não te visse (favas douradas
Sob um amarelo) assim te apreendo brusco
Inamovível, e te respiro inteiro

Um arco-íris de ar em águas profundas.

Como se tudo o mais me permitisses,
A mim me fotografo nuns portões de ferro
Ocres, altos, e eu mesma diluída e mínima
No dissoluto de toda despedida.

Como se te perdesse nos trens, nas estações
Ou contornando um círculo de águas
Removente ave, assim te somo a mim:
De redes e de anseios inundada.

Amavisse.

Hilda Hist

novembro 22, 2006 às 12:33 pm | Publicado em Trechos | 1 Comentário

“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.”
Clarice Lispector

novembro 22, 2006 às 12:32 pm | Publicado em Frases soltas | Deixe um comentário

“Alguns pensam e não são loucos. Outros não conseguem pensar e são loucos. E, infelizmente, somente poucos são tão loucos ao ponto de conseguirem pensar” Rômulo Oliveira Queiroz

novembro 22, 2006 às 12:30 pm | Publicado em Silvia Plath | Deixe um comentário

Para que serve minha vida e o que vou fazer com ela? Não sei e sinto medo. Não posso ler todos os livros que quero; não posso ser todas as pessoas que quero e viver todas as vidas que quero. E por que eu quero? Quero viver e sentir as nuances, os tons e as variações das experiências físicas e mentais possíveis de minha existência. E sou terrivelmente limitada. (…)Tenho muita vida pela frente, mas inexplicadamente sinto-me triste e fraca. No fundo, talvez se possa localizar tal sentimento em meu desagrado por ter de escolher entre alternativas. Talvez por isso queira ser todos – assim, ninguém poderá me culpar por eu ser eu. Assim, não precisarei assumir a responsabilidade pelo desenvolvimento do meu caráter e de minha filosofia.
eis a fuga pra loucura..

Silvia Plath

novembro 22, 2006 às 12:28 pm | Publicado em Trechos | Deixe um comentário

Na arte, a inspiração tem um toque de magia, porque é uma coisa absoluta, inexplicável. Não creio que venha de fora pra dentro, de forças sobrenaturais. Suponho que emerge do mais profundo “eu” da pessoa, do inconsciente individual, coletivo e cósmico.

Clarice Lispector

novembro 22, 2006 às 12:27 pm | Publicado em Nietzsche | 1 Comentário

Ninguém pode construir em teu lugar
as pontes que precisarás passar,
para atravessar o rio da vida
– ninguém, exceto tu, só tu.
Existem, por certo, atalhos sem números,
e pontes, e semideuses que se oferecerão
para levar-te além do rio;
mas isso te custaria a tua própria pessoa;
tu te hipotecarias e te perderias.
Existe no mundo um único caminho
por onde só tu podes passar.
Onde leva? Não perguntes, segue-o

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.