As coisas não quererm mais ser vistas por pessoas razoáveis: Elas desejam ser olhadas de azul – Que nem uma criança que você olha de ave.

junho 14, 2011 às 2:25 am | Publicado em Manoel de Barros | Deixe um comentário
Anúncios

um riso sem um

junho 14, 2011 às 2:03 am | Publicado em e.e.cummings | Deixe um comentário

um riso sem um
rosto(um olhar
sem um eu)
cuida

do(não to
que)ou
desaparec
erá semru

ído(na doce
terra)&
ninguém
(inclusive nós

mesmos)
relem
brará
(por uma fra

ção de
um mo
mento)onde
o que como

quando
por que qual
quem
(ou qualquer coisa)

e.e.cummings

vida é um velho carregando flores na cabeça

junho 14, 2011 às 2:01 am | Publicado em e.e.cummings | Deixe um comentário

vida é um velho carregando flores na cabeça

jovem morte senta no café
sorrindo, algum dinheiro preso entre
o polegar e o indicador

(digo comprará flores pra você
e morte é jovem
vida usa calças de veludo
vida cambaleia, vida tem barba eu

digo a você que está em silêncio – você vê
vida? está lá e aqui
é aquilo ou isso
ou nada ou um velho três terços
adormecidos, na sua cabeça
flores sempre chorando
para ninguém alguma coisa sobre as
rosas as centáureas
sim,
comprará?
as belas botas – ó escute
(nada caras)

e meu amor devagar respondeu acho que sim mas
acho que vejo mais alguém

uma senhora cujo nome é após
está sentada do lado da jovem morte, é esbelta
gosta de flores.

e.e.e cummings

né(comoemsonho)voa

junho 14, 2011 às 1:56 am | Publicado em e.e.cummings | Deixe um comentário

torna
grande cada dim
inuti

vo faz o óbv

io e
str
anho

a

té que
nósmes
mos vi

remos mun

(magic
a
mente)

dos

e.e. cummings

( tradução: Augusto de Campos )

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.